terça-feira, 18 de dezembro de 2018

7028. PORTUGAL CONTINENTAL: Intensidade da precipitação às 15h30

Fonte: IPMA
* * *
Superfície frontal fria cruzando o território do continente ao longo da tarde, progredindo do litoral oeste para as regiões do interior.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

7026. PORTUGAL CONTINENTAL: Fim de semana instável

Previsão para Sábado, 15 de Dezembro de 2018 – Céu geralmente muito nublado, apresentando-se pouco nublado na região Sul até final da manhã. Períodos de chuva no Minho e Douro Litoral, estendendo-se gradualmente às restantes regiões Norte e Centro, e sendo por vezes forte no litoral a norte do Cabo Mondego a partir do meio da tarde.
Vento fraco a moderado predominando de sudoeste, soprando por vezes forte, com rajadas até 65 km/h, no litoral a norte do Cabo Carvoeiro a partir do início da manhã. Nas terras altas, o vento será forte de sudoeste, com rajadas até 80 km/h, em especial a partir da tarde, soprando moderado a forte na região Sul.
Neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais. Pequena subida de temperatura.

ESTADO DO MAR
Costa Ocidental: Ondas de noroeste com 2,5 a 3,5 metros, aumentando para 3,5 a 4,5 metros a norte do Cabo Raso. Costa Sul: Ondas de sudoeste com 1 metro.

Previsão para Domingo, 16 de Dezembro de 2018 – Céu muito nublado, diminuindo gradualmente de nebulosidade a partir da tarde. Períodos de chuva, temporariamente moderada a forte durante a madrugada na região centro e no Alentejo, passando a aguaceiros, diminuindo de intensidade e frequência a partir do início da tarde. Queda de neve nos pontos mais altos da serra da Estrela, descendo a cota para 1200/1400 metros.
Vento fraco a moderado do quadrante oeste, soprando por vezes forte na faixa costeira ocidental até ao início da tarde, e sendo forte nas terras altas.
Pequena descida da temperatura.
* * * * * * * *
Fonte: IPMA

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

7023. Temperatura primaveril vai manter-se em Portugal

As temperaturas vão continuar a situar-se acima da média nos próximos dias, pelo menos, dois ou três graus superiores ao que tem sido norma nos últimos 30 anos. Os madeirenses, mais do que primavera, estão a atravessar um período de verão em pleno Dezembro.

Durante esta quinta e sexta-feira, as temperaturas vão estar, dois a três graus acima da média, esperando-se no Porto, 16 graus e, em Lisboa, 17 graus, de máxima. Na quarta-feira, sentiram-se cinco e seis graus superiores à média, com o Norte e Centro com menos frio – temperaturas mínimas mais elevadas – e Castelo Branco, Portalegre e Évora, com máximas acima do costume para este período do ano.

"Podemos dizer que são temperaturas entre primaveris e outonais", comenta a meteorologista Patrícia Gomes, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, IPMA. Em Dezembro, a média, considerando as últimas três décadas, tem sido 14,6 graus em Lisboa e 14,5 no Porto. O calor deve-se ao posicionamento no anticiclone dos Açores, que está sobre a Península Ibérica. "É sempre sinónimo de bom tempo", afirma."Como a nebulosidade do início da semana desapareceu, temos agora céu limpo e dias de sol".

Na Madeira, as temperaturas da última quarta-feira alcançaram um recorde: chegaram a 26,9 graus e na última noite situou-se nos 22,3 graus: 8,4 graus acima da média. Neste caso, conjugou-se o anticiclone dos Açores com a depressão a oeste das ilhas Canárias, provocando um escoamento de ar quente oriundo do norte de África.

No continente, as temperaturas baixam ligeiramente a partir de sábado, mas ainda se manterão acima da média para a época. Prevê-se precipitação na próxima terça-feira.

"O mês frio costuma ser Janeiro", diz ainda. Ainda é cedo para prever com algum rigor o tempo que estará no Natal.

Dina Margato

* * * * * * * * * * * * * *

7022. ARQUIPÉLAGO DA MADEIRA: Calor


domingo, 2 de dezembro de 2018

7019. ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES: Depressão ETIENNE

Uma depressão em fase de cavamento, com um sistema frontal associado, deverá agravar o estado do tempo nos açores já a partir da próxima madrugada (3 de Dezembro). Prevê-se que, a depressão, agora nomeada ETIENNE, às 15 TUC de segunda-feira (03 de Dezembro) se encontre centrada em 37.5N 34.2W, a uma distância de cerca de 330 km a sudoeste da ilha das Flores, com uma pressão atmosférica prevista no seu centro de 996 hPa, com deslocamento para este-nordeste provocando um aumento significativo da intensidade do vento, da agitação marítima e precipitação FORTE, particularmente nas ilhas dos grupos Ocidental e Central.

É esperado, para o Grupo Ocidental, a partir das 09 TUC de segunda-feira (03 de Dezembro) vento Forte com rajadas que irão intensificando, podendo atingir os 120 km/h durante a tarde, ondas de sudoeste passando a noroeste que poderão atingir os 7 metros de altura significativa.

Para o Grupo Central a partir da madrugada já teremos precipitação forte, que poderá ser acompanhada de trovoadas, o vento com rajadas na ordem dos 100 km/h ao longo do dia e as ondas poderão atingir os 9 metros de altura significativa.

O grupo Oriental será o que menos sentirá os efeitos da depressão ETIENNE, prevendo-se apenas a ocorrência de precipitação por vezes forte podendo ser acompanhada de trovoadas.

* * * * * * * *

Fonte: IPMA

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

7018. PORTUGAL CONTINENTAL: Previsão do estado do tempo até 3ª Feira

Previsão para Sábado, dia 1 de Dezembro de 2018 – Períodos de céu muito nublado, sendo por nuvens altas na região Sul. Possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos no Minho e Douro Litoral. Vento fraco, tornando-se moderado (até 30 km/h) do quadrante sul no litoral a norte do Cabo Mondego e nas terras altas do Norte e Centro a partir da manhã. Neblina ou nevoeiro matinal, podendo persistir em alguns vales até ao início da tarde. Formação de gelo ou geada, em especial nas regiões do interior Norte e Centro. Pequena descida da temperatura mínima.

Previsão para Domingo, dia 2 de Dezembro de 2018 – Períodos de céu muito nublado, sendo por nuvens altas na região Sul, apresentando-se em geral muito nublado na região Norte. Períodos de chuva fraca ou chuvisco no Minho e Douro Litoral, em especial a partir da tarde. Vento fraco, sendo moderado (até 30 km/h) do quadrante sul no litoral a norte do Cabo Mondego e nas terras altas do Norte e Centro. Neblina ou nevoeiro matinal, podendo persistir em alguns vales até ao início da tarde. Pequena subida da temperatura mínima nas regiões Norte e Centro.

Previsão para Segunda-feira, dia 3 de Dezembro de 2018 – Períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado na região Sul. Possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco no Minho até meio da tarde. Vento fraco, sendo moderado (até 25 km/h) do quadrante sul no litoral a norte do Cabo Mondego e nas terras altas do Norte e Centro. Neblina ou nevoeiro matinal, podendo persistir ao longo do dia em alguns locais.

Previsão para Terça-feira, dia 4 de Dezembro de 2018 – Céu em geral pouco nublado, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral das regiões Norte e Centro a partir da tarde. Vento em geral fraco predominando do quadrante sul, soprando moderado (até 35 km/h) nas terras altas do Norte e Centro. Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro ou matinal. Pequena descida da temperatura mínima nas regiões Norte e Centro.

* * * * * * * *

Fonte: IPMA

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

7017. Quinta-feira, 29 de Novembro (16h00)

Imagem de satélite às 16h00
* * *
Fonte: SAT24
==========

Períodos de chuva ou aguaceiros, estendendo-se do litoral para o interior e de norte para sul, associados à passagem de uma superfície frontal fria.

7016. Fake News sobre mau tempo em Portugal Continental

Alerta-se para o facto de circular pela internet avisos sobre ventos fortes e trovoadas previstos para hoje e que não são oficiais, correspondendo a fake news; o único organismo oficial para determinar avisos meteorológicos para Portugal é o IPMA e os avisos hoje em vigor são para a a ondulação e precipitação.
Mais uma vez chama-se à atenção para a constante desinformação meteorológica que surge nas redes sociais, provocando pânico na população sem qualquer necessidade; para avisos meteorológicos consulte apenas o site do IPMA.

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

7015. PORTUGAL CONTINENTAL: Avisos meteorológicos


Avisos meteorológicos para Quinta-feira, 28 de Novembro, associados à passagem de uma superfície frontal fria sobre o território de Portugal Continental: chuva persistente e por vezes forte e ondulação do quadrante oeste até 5 metros.

7014. ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES: Instabilidade


Madrugada com tempo instável no arquipélago dos Açores, com ocorrência de aguaceiros e trovoadas.

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

7012. ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES: Avisos meteorológicos


7011. ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES: Aproximação da depressão DIANA

Prevê-se que a depressão DIANA, às 12 TUC de terça-feira (27 de Novembro) se encontre centrada a 43°N 31°W a norte do arquipélago dos Açores, com uma pressão atmosférica no seu centro de 959hPa e com deslocamento para nordeste.

No grupo ocidental, o vento irá intensificar na próximas horas podendo atingir rajadas até 130 km/h durante o dia de terça-feira; as ondas serão de sudoeste a passar a oeste com altura significativa entre 9 a 12 metros (podendo atingir os 21 metros de altura máxima) também na terça-feira.

No grupo central e, a partir das 00TUC de terça-feira, o vento irá também intensificar com rajadas que poderão atingir os 120 km/h; as ondas serão de oeste com 7 a 9 metros de altura significativa; prevê-se ainda, precipitação por vezes forte acompanhada de trovoada na madrugada e manhã de quarta-feira (28 de Novembro).

Para o grupo oriental, prevê-se um aumento da agitação marítima com ondas que poderão ir até aos 6 metros de altura significativa na madrugada de quarta-feira. Também na madrugada e manhã de quarta-feira poderá ocorrer precipitação por vezes forte nas ilhas de São Miguel e Santa Maria.

* * * * * * * *
Fonte: IPMA

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

7007. PORTUGAL CONTINENTAL: Forte instabilidade no litoral oeste

Intensidade da precipitação às 23h45
* * *
Fonte: IPMA
===========
Linhas de instabilidade procedentes do Oceano Atlântico cruzam o litoral oeste, em direcção para nordeste, provocando aguaceiros, pontualmente fortes e acompanhados de trovoadas e queda de granizo.

7006. PORTUGAL CONTINENTAL: Instabilidade geral




Portugal Continental encontra-se hoje embutido num vasto cavado que desceu em latitude até às ilhas Canárias; o deslocamento do cavado faz-se para leste, pelo que atravessará todo o território do continente entre o dia de hoje e o dia de amanhã.

Assim, o estado do tempo será condicionado pela entrada de uma massa de ar muito húmida e instável, precedente de sudoeste e que rodará para noroeste a partir da próxima madrugada. O ar muito frio em altitude favorece o desenvolvimento de nebulosidade de desenvolvimento vertical, propício à ocorrência de períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoada, especialmente nas regiões do litoral oeste; haverá condições para a queda de granizo e de neve nas terras altas.

As condições meteorológicas tenderão a desagravar-se a partir da tarde de amanha, Sexta-feira.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

7000. Temporal no arquipélago dos Açores

Carta sinóptica de superfície prevista para
Sexta-feira, 16 de Novembro de 2018_00h00
Fonte: MetOffice
=============

A depressão CARLOS, com um sistema frontal associado, encontrava-se às 08 TUC (07 hora local) de hoje, 15 de Novembro, centrada em 50.25N 48.30W a norte do arquipélago dos Açores, com deslocamento para este-sueste, devendo provocar um aumento da intensidade do vento e da agitação marítima bem como precipitação por vezes FORTE em toda a região dos Açores.

É esperado vento do quadrante oeste com rajadas da ordem dos 110 km/h a partir da tarde de hoje até à madrugada de sexta-feira (16 de Novembro) nas ilhas dos grupos Ocidental e Central e a ocorrência de precipitação por vezes forte, em todo o arquipélago, com a passagem da superfície frontal fria.

Em relação à agitação marítima, prevêem-se ondas com altura significativa de 9 a 11 metros no Grupo Ocidental, 7 a 9 metros no Grupo Central e 6 a 7 metros no Grupo Oriental na sexta-feira.

* * * * * * * *

Fonte: IPMA

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

domingo, 11 de novembro de 2018

6996. Domingo, 11 de Novembro (16h30)




6995. Intensidade da precipitação às 12h00

Intensidade da precipitação às 12h00
* * *
Fonte: IPMA
==========
Periodos de chuva ou aguaceiros intensos, progredindo do litoral para o interior.

6994. Avisos meteorológicos (actualização)

Fonte: IPMA

6993. Protecção Civil alerta para condições meteorológicas adversas com chuva persistente

No seguimento do contacto efectuado hoje, 10 de Novembro, pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), de acordo com a informação meteorológica actualizada, prevê-se para domingo (11 de Novembro) um agravamento das condições meteorológicas, nomeadamente, precipitação persistente, com um período mais crítico entre as 00h01 e as 23h59 do dia 11 de Novembro (domingo).

Desde o final da tarde do dia 9 de Novembro, sexta-feira, e até ao final de dia 11, domingo (incluindo igualmente a noite de 11 para 12 de Novembro no Baixo Alentejo e Algarve), o estado do tempo no território do continente é influenciado por uma corrente zonal à qual está associada uma massa de ar tropical, muito húmida, que é responsável por precipitação persistente, e por vezes forte.

Adicionalmente, amanhã dia 11, aproxima-se um vale nos níveis altos da troposfera, em processo de cavamento, o qual poderá originar uma atmosfera instável, essencialmente nas regiões a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, onde poderão ocorrer eventuais trovoadas.

Considerando a situação meteorológica em curso, a ANPC, através do CNOS, dos Comandos Distritais e em estreita articulação com os agentes relevantes do Sistema de Protecção Civil, estamos a acompanhar as bacias do Cavado, Douro, Vouga, Mondego, Tejo e Ribeiras do Oeste.

Face à situação atrás descrita, a ANPC alerta para o facto de poderem ocorrer os seguintes efeitos:

– Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;

– Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;

– Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;

– Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;

– Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;

– Possíveis acidentes em zonas historicamente inundáveis;

– Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência

– Obstrução de vias de circulação por queda de árvores, deslizamento ou desabamento de terras, pedras ou outras estruturas.

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adopção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, recomenda-se a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

– Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objectos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

– Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

– Adoptar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias;

– Retirar das zonas confinantes, normalmente inundáveis, equipamentos agrícolas, industriais, viaturas e outros bens;

– Colocar animais em locais seguros, retirando os rebanhos que se encontram nas zonas que serão provavelmente inundáveis;

– Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Protecção Civil e Forças de Segurança, desenvolvendo as acções necessárias para a sua protecção, da família e bens.

A ANPC recomenda que acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt

* * * * * * * * * * *

Fonte: Região Sul

6992. PORTUGAL CONTINENTAL: Avisos meteorológicos

Fonte: IPMA