quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

6017. ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES: Agravamento do estado do tempo a partir das 21h00 de hoje

O estado do tempo no Arquipélago dos Açores estará mais crítico no período entre as 21h00 de hoje e as 03h00 de amanhã.
Assim, segundo o modelo AROME disponibilizado pelo IPMA, para o Grupo Ocidental esperam-se rajadas de vento que poderão alcançar o intervalo entre os 130 e os 160 km/h nas Flores e superior a 160 km/h no Corvo; precipitação máxima de 20 a 25 mm em 3 horas. O pico máximo da ondulação ocorrerá entre as 03h00 e as 12h00 de amanhã.
Para o Grupo Central, as rajadas de vendo poderão alcançar o intervalo entre os 130 e os 160 km/h (excepcionalmente superar os 160 km/h); precipitação máxima de 30 a 40 mm em 3 horas. O período máximo da ondulação ocorrerá entre as 09h00 e as 12h00 de amanhã.
Para o Grupo Oriental, as rajadas de vendo poderão alcançar o intervalo entre os 110 km/h e os 130 km/h (excepcionalmente superar os 130 km/h); precipitação máxima de 20 a 25 mm em 3 horas. O período máximo da ondulação ocorrerá entre as 12h00 e as 18h00 de amanhã.

6016. Quarta-feira, 7 de Dezembro (19h30)


6015. ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES: Agravamento do estado do tempo

Imagem de satélite às 17h05
* * *
Fonte: ImapWeather
================
O estado do tempo irá agravar-se no Arquipélago dos Açores, esperando-se um aumento da intensidade do vento e da nebulosidade, com ocorrência de períodos de chuva, por vezes fortes, passando a regime de aguaceiros e acompanhados de trovoadas frequentes e dispersas. Progressão da instabilidade do grupo ocidental para o central e depois para o oriental. 

6014. Captura de sardinha diminuiu 80% nos últimos sete anos no Algarve

video

6013. ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES: Tempo tempestuoso

Um centro de baixas pressões muito cavado (974 hPa) passará a Ocidente dos grupos ocidental e central do Arquipélago os Açores ao longo da noite de hoje para amanhã, dirigindo-se para nordeste.
Os seus efeitos começarão a sentir-se a partir da tarde de hoje, com o aumento da intensidade do vento em todo o arquipélago, tornando-se forte com rajadas muito fortes (acima dos 100 km/h); aumento da nebulosidade e ocorrência de períodos de chuva, pontualmente fortes e acompanhados de trovoadas.
Ondulação do mar até aos 8 metros de altura.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

6012. Terça-feira, 6 de Dezembro (15h00)

Imagem de satélite às 15h00
* * *
CopyRight Eumetsat 2016
=========================


Algumas temperaturas às 15h00
* * *
Mora: 22,3 ºC
Dunas de Mira: 22,2 ºC
Alvalade: 21,9 ºC
Figueira da Foz (Vila Verde): 21,6 ºC
Pegões: 21,5 ºC
Porto (S.Gens): 21,4 ºC
Alcácer do Sal (Barrosinha): 21,4 ºC
* * *
Miranda do Douro: 13,1 ºC
Trancoso (Bandarra): 13,0 ºC
Montalegre: 12,1 ºC
Moncorvo: 12,0 ºC
Penhas Douradas: 11,4 ºC
Figueira de Castelo Rodrigo (Vila Torpim): 9,6 ºC
* * *
Fonte: IPMA

domingo, 4 de dezembro de 2016

6011. Precipitação acumulada (03.12.2016)

Precipitação acumulada (> 20,0 mm)
PORTUGAL CONTINENTAL
==========================
Penhas Douradas – 51,5 mm
Proença – a – Nova (P. Moitas) – 50,3 mm
Fundão – 50,1 mm
Santarém (Fonte Boa) – 43,4 mm
Alcácer do Sal (Barrosinha) – 43,1 mm
Alvalade – 42,8 mm
Almada (P. Rainha) – 42,2 mm
Ansião – 41,2 mm
Basrreiro (Lavradio) – 38,8 mm
Tomar (Valdonas) – 37,4 mm
Lisboa (Gago Coutinho) – 37,4 mm
Cabo Raso – 34,6 mm
Setúbal – 34,6 mm
Rio Maior – 33,3 mm
Alcoutim (Martim Longo) – 33,3 ºC
Foía – 31,6 mm
Aljezur – 30,6 mm
Pegões – 29,5 mm
Alvega – 27,7 mm
Lisboa (Tapada da Ajuda) – 23,4 mm
Castro Marim (RN Sapal) – 23,3 mm
Lousã (Aeródromo) – 22,3 mm
* * *
Fonte IPMA

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

6010. Análise sinóptica e tendência do estado do tempo

Carta Sinóptica de Superfície prevista para
Sábado, 3 de Dezembro de 2016_12h00
Fonte: MetOffice
============
Uma depressão muito cavada, centrada amanhã entre o Arquipélago dos Açores e a Península Ibérica, condicionará o estado do tempo em Portugal Continental e no Arquipélago da Madeira.
Assim, nesta noite espera-se um agravamento significativo do estado do tempo no Arquipélago da Madeira, associado à passagem de uma linha de instabilidade muito activa, que originará períodos de chuva ou aguaceiros, pontualmente fortes e acompanhado por trovoadas; o vento forte, com rajadas muito fortes, sobretudo nas terras altas. 
Para Portugal Continental espera-se um aumento da nebulosidade de sul para norte e a ocorrência de precipitação, que se tornará mais frequente e intensa a partir da manhã de sábado, sobretudo nas regiões do centro e sul, com possibilidade de trovoadas. O vento tornar-se-á moderado a forte, com rajadas muito fortes nas terras altas.

6009. ARQUIPÉLAGO DA MADEIRA: Previsão de mau tempo

Previsão para Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2016 (Arquipélago da Madeira) – Céu geralmente muito nublado. Períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e persistentes. Condições favoráveis à ocorrência de trovoada.
Vento moderado a forte (30 a 45 km/h) do quadrante sul, com rajadas até 75 km/h, aumentando para forte (40 a 55 km/h) com rajadas até 90 km/h no final do dia. Nas terras altas o vento soprará forte a muito forte (40 a 60 km/h) do quadrante sul com rajadas até 100 km/h, aumentando para forte a muito forte (50 a 70 km/h) com rajadas até 120 km/h no final do dia.
Pequena subida de temperatura.
Estado do mar:
Costa Norte: Ondas de noroeste com 1 a 2 metros.
Costa Sul: Ondas de sudoeste com 2 a 3 metros, aumentando para 3 a 4 metros a partir do final da tarde. Temperatura da água do mar: 20ºC
* * * * * * * * *
Fonte: IPMA

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

6008. ALGARVE: Sotavento


6007. PORTUGAL CONTINENTAL: Análise sinóptica e tendência do estado do tempo



O estado do tempo nas regiões do litoral oeste, a sul do Cabo Carvoeiro, e Algarve estão esta noite condicionadas pela presença de linhas de instabilidade que percorrem o território de Portugal Continental, oriundas do Atlântico e em progressão para leste; o movimento destas linhas de instabilidade está associado à presença de um centro de baixas pressões a oeste da Península Ibérica.
Estas linhas de instabilidade estão associadas a movimentos forçados e ascendentes de massas de ar que, rapidamente arrefecidas pela presença de ar muito frio em altitude, derivam em actividade convectiva com o surgimento de nuvens de grande desenvolvimento vertical, propícias à ocorrência de períodos de chuva ou aguaceiros, pontualmente fortes e acompanhados de trovoadas.
Estas linhas de instabilidade apresentam um movimento giratório em torno do centro de baixas pressões, estando a ser esta noite mais veloz quanto mais afastadas do núcleo central de baixas pressões. Estas linhas de instabilidade deverão continuar a condicionar o estado do tempo em Portugal Continental ao longo desta noite, nomeadamente nas regiões do centro e sul.
As linhas de instabilidade aparecem representadas em linhas pretas mais espessas que as isóbaras na carta sinóptica a cores, correspondente a áreas alongada de pressão superficial relativamente baixa ou a uma perturbação na troposfera superior; estas linhas de instabilidade estão associadas a um aumento da nebulosidade e a risco de precipitação.

6006. ALGARVE: Descargas eléctricas atmosféricas

 
 
Noite de aguaceiros e trovoadas, frequentes e dispersas, progredindo do barlavento para o sotavento.

domingo, 27 de novembro de 2016

6000. Neve condiciona acessos na Serra do Larouco

video

5999. Neve cortou acessos ao ponto mais alto da Serra da Estrela

video

5998. Desinformação meteorológica

O leitor atento e interessado em meteorologia e no clima deverá já ter reparado a inconsistência profícua que determinados websites permitem aos seus utilizadores em contradizerem e desinformarem publicamente acerca de previsões e análises meteorológicas do IPMA, nomeadamente ao longo deste ultimo episódio de instabilidade que ocorreu nos últimos dias, associado ao núcleo de ar frio que se posicionou e afectou toda a Península Ibérica. 


Infelizmente a internet permite que pessoas menos qualificadas coloquem em causa o trabalho dos investigadores e cientistas nacionais que certamente deram o seu melhor brio profissional e concerteza foram de longe quem melhor soube interpretar e prever os fenómenos climatéricos adversos que ocorreram na última semana. Por isso desmascare-se quem efectivamente desinforma e baralha a informação meteorológica, passando para a opinião pública uma visão errada dos factos; a estes sobre-lhe o tempo de se retratarem dos seus erros de análise e evitar voltarem a desinformar publicamente a população, colocando em causa a verdade meteorológica.
Mais uma vez parabéns ao trabalho a todos os investigadores e cientistas do IPMA pelo seu brio profissional.

5997. Domingo, 27 de Novembro (02h00)

Baixo Alentejo e Algarve: períodos de chuva ou aguaceiros, pontualmente fortes e acompanhados por queda de granizo; possibilidade de eventos extremos de vento.

sábado, 26 de novembro de 2016

5996. BAIXO ALENTEJO/ALGARVE: Tempo severo



5995. Instabilidade associada ao movimento retrógado de uma depressão

Imagem de satélite às 11h00
* * *
Fonte: SAT24
===========
O estado do tempo em Portugal Continental continua a estar, neste Sábado, sob a influência do centro de baixas pressões localizado a oeste da Península Ibérica, posição a partir do qual se geram linhas de instabilidade que cruzam todo o território do continente, do litoral para o interior nas regiões do centro e sul, e de sueste nas regiões do norte, provocando períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoadas. Queda de neve nas terras altas do norte e centro, em altitudes cada vez mais elevadas.
Segundo a meteorologista Paula Leitão, do IPMA, “esta situação deve-se a uma depressão complexa que cavou um núcleo sobre o Mediterrâneo percorrendo a Península Ibérica, uma situação difícil de prever pois os modelos têm estado a oscilar nos resultados, não tem sido fácil fazer uma previsão".

5994. ALGARVE: Madrugada com instabilidade moderada


5993. Sábado, 26 de Novembro (00h00)

Linha de instabilidade cruzando o Algarve
(Intensidade da precipitação às 00h00)
IMAGEM ADAPTADA
* * *
Fonte: IPMA
==========
O estado do tempo em Portugal Continental continua condicionado pelo centro de baixas pressões centrada a oeste da Península Ibérica (Tempestade QUEENIE) que, com o seu deslocamento para uma latitude mais baixa, favorece a entrada de massas de ar húmidas e mais quentes sobre o território de Portugal Continental, especialmente sobre as regiões do centro e sul.
Assim, o tempo estará mais instável sobretudo na faixa litoral a sul do Cabo Carvoeiro, Baixo Alentejo e Algarve, onde poderão ocorrer períodos de chuva ou aguaceiros, que poderão ser pontualmente fortes e acompanhados de trovoadas. A temperatura do ar tenderá a subir progressivamente.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

5992. LISBOA: As cheias de 25 para 26 de Novembro de 1967


CopyRight @ Miguel Ferreira

5991. Em Montalegre caiu um dos maiores nevões dos últimos anos

video

5990. Camionistas bloqueados na serra de Montemuro devido à neve

video

5989. Neve na cidade da Guarda exige atenção redobrada dos condutores

A queda de neve na cidade da Guarda, onde algumas ruas de maior inclinação estão fechadas ao trânsito, levou hoje a protecção civil municipal a apelar aos condutores para que circulem com precaução. Em declarações à agência Lusa, o vereador Sérgio Costa, coordenador do serviço municipal de protecção civil, referiu que a neve que caiu durante a madrugada, essencialmente na parte mais alta da cidade, não originou o encerramento de vias rodoviárias e a circulação automóvel é feita com normalidade, embora com precaução. Apenas no centro da cidade estão fechadas as ruas mais inclinadas, que tradicionalmente são encerradas logo que neva, como a rua Ribeiro Sanches, a Rua do Encontro e a Rua Mestre de Avis, indicou.
O autarca disse à Lusa que as escolas da Guarda "funcionam normalmente". Lembrou que durante a madrugada ainda foi registado o condicionamento de trânsito nos acessos à zona de Videmonte, mas pelas 08:25, em todo o concelho, não havia registo de estradas cortadas.
O vereador lembrou que os condutores, nos acessos ao centro da cidade mais alta do país, deviam optar pela utilização da Via de Cintura Externa da Guarda (VICEG) e pela antiga Estrada Nacional 16, que é "o corredor sempre garantido" em episódios de neve.
Sérgio Costa referiu que estavam no terreno, desde as 04:00 de hoje, um total de sete viaturas limpa-neves e cerca de 40 homens da Câmara Municipal da Guarda, dos Serviços Municipalizados e dos bombeiros que procederam à limpeza das vias e ao espalhamento de salgema para derreter a neve.
Na Serra da Estrela, todos as estradas estão cortadas desde quinta-feira, com excepção de Seia – Sabugueiro.
* * * * * * * * * * *

5988. PORTUGAL CONTINENTAL: Tempo severo em todo o território




O estado do tempo em Portugal Continental está condicionado pela presença de um centro de baixas pressões centrado a oeste do continente e pela passagem de um sistema frontal pelas regiões do centro e sul, em deslocamento para leste.
Assim, ao longo da tarde de hoje e da próxima noite persistirá a instabilidade no território de Portugal Continental, com períodos de céu muito nublado e ocorrência de precipitação, em regime de períodos de chuva, passando a aguaceiros, pontualmente fortes e acompanhados de trovoadas e queda de granizo nas regiões do centro e do sul. Continuação da queda de neve nas terras altas do norte e centro.

5987. Neve obriga ao corte de várias estradas em quatro distritos

A queda de neve obrigou na noite de quinta para sexta-feira ao corte de várias estradas nos distritos da Guarda, Castelo Branco, Vila Real e Viseu, segundo fonte da GNR.
Estavam cortadas na Guarda a estrada nacional 339, entre os quilómetros 11 e 21 (Seia), e a nacional 338, entre os quilómetros 20 e 30 (Seia). No concelho de Gouveia, a nacional 339 também está cortada entre o quilómetro zero e o 6, sendo as alternativas a A23 e a nacional 17. A mesma estrada nacional também está cortada no distrito de Castelo Branco, no concelho da Covilhã, entre o quilómetro 20 e o 32.
No distrito de Vila, a nacional 103 estava condicionada em Montalegre ao quilómetro 116, enquanto a estrada regional 212 estava cortada ao quilómetro 135 na zona de Chaves, sendo a alternativa a nacional 2.
Já no distrito de Viseu, a estrada nacional 321 está cortada entre os quilómetros 38 e 45 na zona de Cinfães, sendo a alternativa a nacional 222, por Resende, e a 225, por Nespereira.
Além das estradas nacionais, a neve está também a afectar a circulação em algumas estradas municipais naqueles distritos, concluiu a GNR.
* * * * * * * * * * *
Fonte: PÚBLICO

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

5986. MONTALEGRE: Escolas fecham mais cedo por causa da queda de neve

Imagem de satélite às 16h35
* * *
Fonte: SAT24
==========
Os alunos do Agrupamentos de Escolas Doutor Bento Cruz, em Montalegre, regressaram a casa mais cedo esta quinta-feira por causa da queda que neve, que levou também ao encerramento de serviços municipais desde as 16:00.
David Teixeira, vice-presidente da Câmara de Montalegre, disse à agência Lusa que começou a nevar com intensidade na tarde desta quinta-feira no concelho mais a norte do distrito de Vila Real, uma situação que causou constrangimentos nas estradas e levou ao fecho das escolas mais cedo. Neste agrupamento estudam cerca de 500 alunos. O vice-presidente disse que alguns serviços municipais, como museu e biblioteca, vão também encerrar a partir das 16:00.
O responsável referiu que neva com muita intensidade nas aldeias de Pitões das Júnias, Tourém, Padroso e Padornelos, localidades onde a situação está um pouco mais complicada e para onde se prevêem descidas de temperatura para os menos cinco graus. David Teixeira afirmou que, no terreno, estão equipas da protecção civil e dos bombeiros, com quatro limpa-neves que estão a proceder à limpeza das vias e a espalhar sal.
* * * * * * * * * * * * * *