sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

6600. Sexta-feira, 23 de Fevereiro (07h00)

Algumas temperaturas às 07h00
* * *
Aeroporto de Ponta Delgada (Açores): 15,5 ºC
Faro (Aeroporto): 9,1 ºC
Aveiro (Universidade): 8,3 ºC
Viana do Castelo: 7,8 ºC
Sines: 7,6 ºC
Cabo Carvoeiro: 7,4 ºC
Porto (S. Gens): 7,0 ºC
* * *
Mirandela: - 2,6 ºC
Tomar (Valdonas): - 2,7 ºC
Portel (Oriola): - 3,2 ºC
Sabugal (Martim Rei): - 3,2 ºC
Miranda do Douro: - 3,9 ºC
Aljezur: - 4,1 ºC
* * *
Fonte: IPMA

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

6598. IPMA: Extremos diários

Extremos Diários
Temp. máxima, Temp. mínima, Precip. acumulada, Rajada máxima,
(Continente, Açores e Madeira)
* * *
Fonte: IPMA

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

6597. Deputados exigem firmeza do Governo sobre mina de urânio espanhola

O presidente da Comissão parlamentar de Ambiente exigiu hoje do Governo firmeza junto de Espanha para que Portugal seja envolvido na avaliação ambiental da mina de urânio de Retortillo, a 40 quilómetros da fronteira, perto de Almeida. "É necessário que o Governo português intervenha rapidamente, com firmeza e exigência porque a razão está do nosso lado, queremos que haja uma avaliação de impacto ambiental transfronteiriço", disse à agência Lusa Pedro Soares.
Deputados da Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação visitaram o local para onde está planeada a instalação de uma mina de urânio a céu aberto, em Retortillo, Espanha, juntamente com deputados espanhóis. No domingo, os deputados portugueses estiveram com vários autarcas da região da Guarda que transmitiram o desacordo relativamente à instalação da mina e os receios acerca dos seus efeitos para o ambiente e para a saúde.
A delegação da Comissão tem representantes de todos os partidos e "nota-se uma convergência grande relativamente a esta questão no sentido de exigir a participação das autoridades portuguesas na avaliação transfronteiriça", relatou Pedro Soares, do Bloco de Esquerda. Por isso, defendeu ser "possível que a Assembleia da República venha a aprovar em breve um diploma, um projecto de resolução que exija uma posição clara do Governo português".
A instalação da mina em Retortillo pela empresa Berkeley "teria efeitos devastadores sobre o território português, sobre toda aquela região" pois fica em frente do Parque Natural do Douro internacional, realçou. "Queremos é que haja firmeza da parte do Governo português e exigência no cumprimento das normas, não queremos que se repita – e parece que é para ai que vai o caminho – o que se passou em Almaraz", insistiu o presidente da Comissão parlamentar de Ambiente.
Referia-se à ausência de consulta a Portugal na decisão de construir um armazém de resíduos nucleares junto à central de Almaraz, perto do rio Tejo, levando à apresentação de uma queixa à Comissão Europeia, tendo sido conseguido posteriormente um acordo entre os dois países. "Percebemos que, tanto de um lado como de outro da fronteira, há uma grande preocupação dos autarcas e das populações relativamente a esta mina, [que] tem impactos óbvios em termos ambientais e em termos da qualidade de vida das pessoas", salientou Pedro Soares.
O deputado explicou que a mina, cuja instalação tem também suscitado críticas de ambientalistas portugueses e espanhóis, está em cima da bacia hidrográfica do Douro e "todas as escorrências e detritos da produção vão parar" ao rio. "O problema fundamental é que o urânio tem emissões radioactivas que não se controlam e podem, além de via água e aquíferos, também por via aérea chegar a Portugal e a mina está a 40 quilómetros em linha recta da fronteira de Almeida", alertou Pedro Soares.
Um estudo de avaliação de impacto ambiental feito pelo governo regional de Castela e Leon, que autorizou o projecto, define, segundo o deputado, que há "14 impactos severos, é o termo que utilizam, ao nível da avifauna, das questões ambientais, das populações, da água". A Berkeley "tenta manipular isto e diz que vai criar 400 postos de trabalho, vai ser muito importante para o desenvolvimento da região, mas qualquer pessoa minimamente inteligente percebe que isso é uma manobra para tentar manipular a opinião pública", disse ainda o político português.
Pedro Soares relatou que o Governo português já pediu informação a Espanha sobre este assunto e o executivo espanhol terá respondido que não tem de partilhar informação ou fazer avaliação de impacto ambiental transfronteiriço porque considera que não há impactos em Portugal.
* * * * * * * * * * * * * * 

domingo, 18 de fevereiro de 2018

6596. Domingo, 18 de Fevereiro (07h00)

Algumas temperaturas às 07h00
* * *
Aeródromo do Corvo (Açores): 15,9 ºC
Cabo Carvoeiro: 10,9 ºC
Cabo Raso: 10,9 ºC
Aveiro (Universidade): 10,7 ºC
Lisboa (Geofísico): 10,5 ºC
Vila Real de S. António: 10,5 ºC
Faro (Aeroporto): 10,3 ºC
* * *
Penhas Douradas: - 0,1 ºC
Mirandela: - 0,1 ºC
Sabugal (Martim Rei): - 0,4 ºC
Miranda do Douro: - 0,7 ºC
Bragança: - 1,2 ºC
Chaves (Aeródromo): - 1,4 ºC
* * *
Fonte: IPMA

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

6595. AÇORES: Cerca de 300 sismos desde o início da madrugada



Centenas de pequenos sismos de média magnitude, com valores entre 1,9 e 3,2 na escala de Richter, foram registados desde o início da madrugada desta segunda-feira na ilha de São Miguel, nos Açores. De acordo com o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) “desde as 23h47 horas do dia 11 de Fevereiro registou-se um incremento significativo da actividade sísmica na parte central da ilha de S. Miguel, numa zona epicentral localizada entre o Vulcão do Fogo e o Sistema Vulcânico Fissural do Congro”.
O responsável pelo CIVISA, João Luís Gaspar, considera ainda expectável que se mantenha a actividade sísmica durante o dia na ilha de São Miguel e que seja sentida pela população. “A manter-se o padrão sismológico que se tem vindo a registar desde a madrugada é provável que tenhamos novos sismos sentidos pela população”, disse João Luís Gaspar em declarações à agência Lusa.
De acordo com o mesmo responsável, este tipo de “crises sísmicas é normal”, recordando que na ilha de São Miguel ocorreu um episódio “acima do normal” em 2005 que “durou algum tempo”, acrescentando tratar-se de uma zona em que, regra geral, há actividade sísmica ao longo de todo o ano. “Neste caso, esta actividade está mais concentrada no tempo e espaço. Vamos ter de acompanhar nas próximas horas mas, é muito provável, face no padrão que temos vindo a observar, que esta actividade se venha a manter ao longo do dia”, avançou.
O especialista explicou que o CIVISA tem vindo a registar desde a meia-noite (menos uma hora do que em Lisboa) um “incremento da actividade sísmica na parte central da Ilha de São Miguel”, eventos todos de baixa magnitude, regra geral inferior a três, com epicentro entre a Lagoa do Fogo e a Lagoa do Congro.
“Como os epicentros são em terra e próximos de zonas habitacionais, cerca de duas dezenas foram sentidos, ao longo da noite e madrugada, pela população”, disse, explicando que o sismo mais forte foi registado pelas 6h18 locais, com intensidade máxima de V na escala de Mercalli Modificada. Para João Luís Gaspar tratam-se de sismos que não provocaram “quaisquer estragos”, mas que, ao serem sentidos pela população “causaram alguma apreensão”.
Ao início da manhã, também o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) confirmou a ocorrência de múltiplos sismos, de média magnitude, a partir das 2h53 (3h53 no continente) nos mesmos locais. Em comunicado, o IPMA informou que tem sido detectado um aumento da actividade sísmica na região do Congro (Lago do Congro, Vila Franca do Campo). Como exemplo, e de acordo com o IPMA, os sismos foram sentidos nas freguesias de Porto Formoso, Rabo de Peixe, Água do Alto e Furnas com magnitudes de 2,7, 3,0, 3,2, 3,2 e 3,1, respectivamente, entre as 3h06 e 4h05.
Posteriormente, foram sentidos mais sismos nas zonas da Ribeira Seca (freguesia de Vila Franca do Campo) e em São Brás (freguesia da Ribeira Grande) com magnitudes a variar entre 2,9 e 3,2, respectivamente. O IPMA adianta ainda que são de esperar mais sismos sentidos naquela zona.
Apesar do aumento de actividade sísmica, não há, para já, motivos para alarme. De acordo com a especialista em vigilância de sismos do IPMA, Lígia Marques, “é uma crise que, neste momento, não parece estar a abrandar”, mas não é caso para grandes preocupações, adiantou à TSF.  A sismóloga esclareceu que esta actividade sísmica se deve a uma falha que se está a movimentar e “estas situações são normais”. Ainda assim, recomendou às populações a ficarem alerta para o caso de se registar um sismo de maior intensidade.
Mesmo não tendo sido lançado qualquer alarme, o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores emitiu um comunicado com as últimas informações (que irá actualizando à medida que se registem novas ocorrências).
Também o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores deixou uma lista de recomendações à população. Em caso de sismo, aconselham a que sejam tomados os seguintes procedimentos:
  • mantenha a calma e conte com a ocorrência de possíveis réplicas;
  • não acenda fósforos nem isqueiros, pois pode haver fugas de gás;
  • observe se a sua casa sofreu danos graves e saia imediatamente se suspeitar que não oferece condições de segurança;
  • caso duvide da integridade dos circuitos de gás, electricidade ou água, desligue-os imediatamente;
  • nunca utilize os elevadores;
  • confirme a validade do seu Kit de emergência e reveja o seu conteúdo com o seu agregado familiar;
  • verifique se existem feridos e, se necessário, preste os primeiros socorros;
  • tenha cuidado com vidros partidos ou cabos de electricidade. Evite ferimentos protegendo-se com vestuário adequado;
  • limpe imediatamente os produtos inflamáveis que se tenham derramado;
  • se puder, solte os animais domésticos, pois eles cuidam de si próprios;
  • afaste-se das praias porque pode ocorrer uma onda gigante (tsunami);
  • ligue o rádio, fique atento às recomendações difundidas e não contribua para a divulgação de boatos;
  • siga sempre as recomendações dos agentes das autoridades presentes, eles estão nos locais para o ajudar;
  • assim que oportuno, verifique a validade dos seguros da sua casa e viatura e certifique-se que têm cobertura para fenómenos sísmicos.
O especialista do CIVISA reforça a importância de seguir as precauções recomendadas pelo serviço de Protecção Civil Regional e Bombeiros dos Açores para que as pessoas não permaneçam em casas de maior vulnerabilidade à actividade sísmica.
“Na zona rural da ilha de São Miguel temos algumas habitações com pedra solta menos resistentes à acção sísmica”, adiantou o responsável, lembrando a necessidade de se evitar circular em ruas e caminhos que sejam ladeados por taludes mais íngremes. “Ou seja, as recomendações normais que os açorianos já estão habituados a seguir”, frisou.
* * * * * * * * * * * *
Fonte: Observador

6594. Segunda-feira, 12 de Fevereiro (03h30)

Intensidade da precipitação às 03h30
* * *
Fonte: IPMA
==========
Madrugada com precipitação nas regiões do centro - sul.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

6592. Queda de neve e vento vão continuar na Madeira

As previsões do estado do tempo indicam que vamos continuar, nesta quinta-feira, com neve nos pontos altos da ilha. As rajadas de vento podem atingir os 120Km/h nas zonas altas e os 90km/h no restante território do arquipélago.
Esta vai ser uma quinta-feira de aguaceiros e de neve nos pontos mais altos da ilha da Madeira.
O vento vai soprar forte (40 a 55 km/h) de norte, com rajadas até 90 km/h, tornando-se moderado a forte (30 a 45 km/h) a partir do final da tarde. Nas terras altas, o vento soprará forte a muito forte (50 a 65 km/h) com rajadas até 120 km/h, enfraquecendo gradualmente para forte (40 a 50 km/h), com rajadas até 100 km/h.
A Protecção Civil relembra que no site do Serviço Regional de Protecção Civil e na APP Prociv Madeira constam as recomendações a ter em conta em caso de tempo adverso. Para esta quinta-feira os conselhos são:
- Feche portas e janelas e retire os objectos soltos que se encontrem nas varandas e peitorais das janelas.
- Sempre que possível, evite as viagens para as zonas afectadas por este tipo de situação meteorológica.
- Não circule por zonas com prédios degradados, devido ao risco de derrocadas.
- Preste atenção às estruturas montadas (andaimes, toldos, tendas, telhados), que poderão ser afectadas por rajadas mais fortes de vento, bem como a uma possível queda de árvores.
Os riscos que representam, com estas condições, os percursos auto e apeados, sobretudo nas zonas montanhosas, vertentes expostas e zonas costeiras pelo que se aconselha cuidados especiais nas actividades durante o período em que vigora o aviso.
Perante a neve há que ter muitas cautelas:
- Os cidadãos devem seguir escrupulosamente as indicações transmitidas pelas autoridades no que concerne ao respeito pelo encerramento de estradas, percursos alternativos, sinalização e outras informações.
- Nas vias circuláveis evitar parar ou abandonar a viatura na faixa de rodagem, contribuindo para o aumento do congestionamento de trânsito.
- Ter especial atenção à brusca formação de gelo na estrada, que poderá dificultar a condução e provocar o atravessamento dos veículos e a ocorrência de acidentes.
- Use várias camadas de roupa em vez de uma única peça de tecido grosso. Evite as roupas muito justas ou as que façam transpirar.
- Evitar comportamentos de risco que poderão originar acidentes.
Relativamente ao mar e às orlas costeiras:
- É de evitar circular nas zonas costeiras (falésias, escarpas, vias marginais, passeios marítimos, praias).
- Nas zonas em risco de erosão costeira, a população deverá tomar atenção à eventual afectação de edifícios (habitações, estabelecimentos comerciais, apoios de praia, etc.), localizados junto à costa ou próximo de praias.
* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *
Fonte (Texto e imagem): RTP Madeira

6591. Quinta-feira, 8 de Fevereiro (07h00)

Algumas temperaturas às 07h00
* * *
Aeródromo do Corvo (Açores): 15,4 ºC
Cabo Carvoeiro: 7,4 ºC
Lisboa (Geofísico): 6,0 ºC
Faro (Aeroporto): 5,3 ºC
Viana do Castelo: 4,5 ºC
Lisboa (G. Coutinho): 4,2 ºC
Cabo Raso: 3,7 ºC
* * *
Chaves (Aeródromo): - 5,4 ºC
Sabugal (Martim Rei): - 5,4 ºC
Penhas Douradas: - 5,7 ºC
Mirandela: - 5,9 ºC
Bragança: - 6,5 ºC
Miranda do Douro: - 7,1 ºC
Carrazeda de Ansiães: - 7,3 ºC
* * *
Fonte: IPMA

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

6589. Terça-feira, 6 de Fevereiro (07h00)

Algumas temperaturas às 07h00
* * *
Funchal/Lido (Madeira): 15,0 ºC
Cabo Carvoeiro: 8,9 ºC
Cabo Raso: 7,5 ºC
Barreiro (Lavradio): 7,2 ºC
Lisboa (Geofísico): 6,0 ºC
Viana do Castelo: 5,9 ºC
Lisboa (Tapada da Ajuda): 5,8 ºC
Almada (P. Rainha): 5,8 ºC
* * *
Chaves (Aeródromo): - 4,1 ºC
Vinhais: - 4,1 ºC
Guarda: - 4,2 ºC
Mirandela: - 5,2 ºC
Penhas Douradas: - 5,4 ºC
Bragança: - 6,3 ºC
* * *
Fonte: IPMA

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

6588. AVISO À POPULAÇÃO: Tempo frio

No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), realizado hoje no Comando  Nacional  de  Operações  de  Socorro  (CNOS)  da  Autoridade  Nacional  de  Protecção  Civil (ANPC), e de acordo com a informação meteorológica hoje actualizada, salienta-se para os próximos 3 dias:
- diminuição  da  temperatura  mínima,  com  valores a situar-se entre os – 4º Celsius e 2º Celsius nas  regiões  do interior norte e centro e entre 0º Celsius e 4º Celsius nas regiões do sul e do litoral norte e centro;
- vento a soprar forte do quadrante norte, no litoral e nas terras altas, com rajadas até 70 km/h;
- formação de gelo ou geada nas regiões do norte e do centro.
Face à situação acima descrita, pode verificar-se:
- Intoxicação por inalação de gases devido a inadequada ventilação de habitações  com recurso a lareiras e braseiras;
- incêndio  em  habitações em resultado da    utilização  de  lareiras  e  braseiras  ou de  avarias eléctricas;
- formação de gelo em troços de estradas com ensombramento permanente.
A  ANPC  recorda  que  o  eventual  impacto  destes  efeitos  pode  ser  minimizado  através  da  adopção  de medidas de autoproteção e comportamentos adequados como os que se seguem:
- evitar exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
- envergar várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
- proteger as extremidades do corpo com gorro, cachecol, luvas e meias quentes;
- ingerir sopas e bebidas quentes e evitar o consumo de álcool;
- envergar vestuário adequado por  parte  de  trabalhadores  que  exerçam  actividades ao  ar  livre e evitar que exerçam esforços excessivos durante as tarefas que realizem;
- tomar especial atenção aos aquecimentos com combustão (braseiras e lareiras), os quais podem causar intoxicação e conduzir à morte devido à acumulação de monóxido de carbono;
- assegurar a adequada ventilação das habitações;
- evitar o uso de dispositivos de aquecimento antes de dormir, cuidando de os desligar da corrente antes de deitar;
- adoptar uma  condução  defensiva  e  ter  especial  atenção  aos  locais  da  estrada susceptíveis  de formação de gelo;
- atender aos  familiares  e  vizinhos  que  possam  necessitar  de  auxílio  e  apoio,  nomeadamente pessoas mais idosas e em condições de maior isolamento;
- dedicar especial atenção aos grupos da população mais vulneráveis, como as crianças, idosos e as pessoas portadoras de patologias crónicas, bem como os sem - abrigo;
- estar atento às informações da meteorologia e aos conselhos e recomendações da Protecção Civil e Forças de Segurança.
* * * * * * * * *
Fonte: ANPC

6587. Segunda-feira, 5 de Fevereiro (17h00)

Imagem de satélite às 17h00
* * *
Fonte: SAT24

domingo, 4 de fevereiro de 2018

6586. PORTUGAL CONTINENTAL: Tempo instável

Imagem de Satélite às 17h00
* * *
Fonte: SAT24
===========
Tarde instável nas regiões do interior centro e sul, períodos de céu muito nublado e aguaceiros dispersos, por vezes acompanhados de granizo e queda de neve. Vento moderado do quadrante norte.

6585. Domingo, 4 de Fevereiro (10h00)



O estado do tempo em Portugal Continental encontra-se hoje influenciado pela presença de um centro de baixas pressões centrado no interior da Península Ibérica e, em altitude, por um núcleo de ar muito frio aos 500 hPa (5500 metros de altitude aproximadamente) com temperaturas a rondar os 35 ºC negativos.
Com esta sinóptica, e tendo em conta que o deslocamento das massas de ar em torno do centro de baixas pressões se faz no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio, é previsível que ao longo da tarde de hoje ocorra um aumento da nebulosidade no interior de Portugal Continental, podendo favorecer a ocorrência de precipitação, pouco significativa, particularmente nas regiões montanhosas da região centro.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

6584. PORTUGAL CONTINENTAL: Semana com frio

Uma vasta região anticiclónica localizada na região dos Açores e uma depressão sobre a Península Ibérica, vão continuar a dar origem ao transporte de uma massa de ar muito frio e seco sobre o território do continente ao longo da próxima semana.
Hoje (sábado), com a passagem de um sistema frontal de fraca actividade, ocorrerão de períodos de chuva fraca nas regiões Norte e Centro, estendendo-se à região Sul a partir da tarde e passando a regime de aguaceiros pouco frequentes. A precipitação será sob a forma de neve acima de 800/1000 metros, subindo temporariamente para os 1000/1200 metros. O vento vai ser fraco a moderado do quadrante oeste e, após a passagem da superfície frontal fria, irá rodar para norte, soprando moderado a forte no litoral e nas terras altas.
A partir de amanhã (domingo), prevê-se que o céu esteja geralmente pouco nublado, apresentando temporariamente períodos de maior nebulosidade com possibilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos e pouco frequentes, que serão de neve acima de 600/800 metros, embora sejam pouco prováveis. O vento irá soprar moderado do quadrante norte, temporariamente forte no litoral e nas terras altas, o que, aliado a uma pequena descida da temperatura, vai acentuar o desconforto térmico.
As temperaturas mais baixas irão registar-se entre terça e quinta-feira, sendo que, nas capitais de distrito do interior Norte e Centro, a temperatura mínima deverá atingir valores entre -2 e -6 ºC e a máxima entre 2 e 8 ºC. Nas restantes capitais, a temperatura máxima deverá atingir 10 a 14 ºC e a mínima 0 a 5 ºC.
* * * * * * * * *
Fonte: IPMA

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

6583. Sexta-feira, 2 de Fevereiro (07h00)

Algumas temperaturas às 07h00
* * *
Funchal/Lido (Madeira): 15,3 ºC
Cabo Carvoeiro: 11,0 ºC
Cabo Raso: 10,5 ºC
Santa Cruz (Aeródromo): 10,1 ºC
Barreiro (Lavradio): 9,7 ºC
Lisboa (Geofísico): 8,9 ºC
* * *
Viseu: - 1,6 ºC
Arouca: - 1,7 ºC
Sabugal (Martim Rei): - 2,4 ºC
Guarda: - 2,4 ºC
Penhas Douradas: - 4,0 ºC
Miranda do Douro: - 4,7 ºC
* * *
Fonte: IPMA

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

6582. Dezoito sismos em Arraiolos desde o início do ano. Pode vir aí um forte tremor de terra?

Coisas a reter para o caso de se registar um sismo de forte intensidade: não fuja para a rua se estiver dentro de casa; refugie-se preferencialmente de pé junto de grandes objectos que não caiam sobre si (por exemplo aos cantos da divisão da casa porque aí os alicerces são mais consistentes) e conte em voz alta do número 100 até 0 sem sair do local… Evite proximidade a objectos soltos, janelas, portas ou escadas…

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

6581. Vento forte e temperaturas baixas no continente

Uma vasta região anticiclónica, relativamente intensa, localizada às 12UTC de dia 1 de Fevereiro a norte dos Açores e em crista até à Islândia, originará o transporte de uma massa de ar muito frio e seco sobre o território do continente e uma intensificação do vento, em especial no litoral oeste e nas terras altas.
Assim, prevê-se a partir da manhã de dia 1, vento forte no litoral oeste e nas terras altas com rajadas até 80 km/h. Adicionalmente, verificar-se-á uma descida dos valores da temperatura máxima em todo território, entre 3 e 6ºC. As baixas temperaturas associadas ao vento forte aumentarão o desconforto térmico, em especial entre a tarde de dia 1 e a manhã de 2.
Até dia 4, continuar-se-á a fazer sentir vento forte e com rajadas no litoral oeste e nas terras altas, com excepção de dia 3, em que se prevê um enfraquecimento temporário do vento.
No dia 3, a aproximação e passagem de um sistema frontal de fraca actividade, poderá originar precipitação fraca na generalidade do território, com probabilidade entre 35 e 60% a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela, e inferior a 35% a sul do referido sistema, que a ocorrer será sob a forma de neve em cotas baixas.
* * * * * * * *
Fonte: IPMA

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

6580. PORTUGAL CONTINENTAL: Tempo instável e muito frio

Carta Sinóptica de Superfície prevista
para dia 1 de Fevereiro de 2018_12h00
Fonte: MetOffice
=============


A partir de amanhã, o estado do tempo em Portugal Continental passará a estar condicionado pela presença de um anticiclone centrado no oceano Atlântico e baixas pressões centradas no centro da Europa; deste modo, estabelecer-se-á uma corrente predominante de norte, com a entrada de uma corrente de ar muito fria, precedente de latitudes muito elevadas.
Uma superfície frontal fria irá atravessar o território de Portugal Continental a partir do final de Quarta-feira e ao longo da madrugada de Quinta-feira; a sua deslocação efectuar-se-á de norte para sul, levando ao aumento da nebulosidade e ocorrência de precipitação, escassa e concentrada sobretudo nas regiões montanhosas do norte e centro, onde será de neve. Após a passagem da superfície frontal fria, o vento rodará para norte, soprando moderado a forte, com rajadas nas terras altas; a temperatura do ar descerá, sobretudo nas regiões do interior norte e centro.
Uma outra superfície frontal de fraca actividade deverá atravessar o território de Portugal continental ao longo da noite de Sábado para Domingo, afectando sobretudo as regiões do norte e centro.

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

6578. Europa (Tendência climática)

Lista de estações com maior tendência de subida no
RANKING METEOROLÓGICO EUROPEU
(Actualização da postagem Nº 6456)
Temperaturas máximas diárias 
(acumuladas em doze meses)
* * *
Ordem/Estação meteorológica/
Nº de Trimestre a subir no Ranking Europeu/
variação com o trimestre anterior
====================================
 * * *
Estas estações meteorológicas são as que têm registado um maior número de trimestres a subir no Ranking Meteorológico Europeu. Assim, estas são as vinte e cinco estações meteorológicas europeias que tendem a registar, cada vez com mais frequência, as dez temperaturas máximas absolutas diárias mais elevadas em todo o continente europeu, considerando um período de doze meses consecutivos. São estações meteorológicas com tendência a terem um clima com temperaturas máximas diárias mais elevadas ao longo do ano.
* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *
Temperaturas minímas diárias 
(acumuladas em doze meses)
* * *
Ordem/Estação meteorológica/
Nº de Trimestre a subir no Ranking Europeu/
variação com o trimestre anterior
=======================================
* * *
Estas estações meteorológicas são as que têm registado um maior número de trimestres a subir no Ranking Meteorológico Europeu. Assim, estas são as vinte e cinco estações meteorológicas europeias que tendem a registar, cada vez com mais frequência, as dez temperaturas mínimas absolutas diárias mais baixas em todo o continente europeu, considerando um período de doze meses consecutivos. São estações meteorológicas com tendência a terem um clima com temperaturas mínimas diárias mais baixas ao longo do ano.
* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *
Precipitação total em 24 horas
(acumuladas em doze meses)
* * *
Ordem/Estação meteorológica/
Nº de Trimestre a subir no Ranking Europeu/
variação com o trimestre anterior
====================================
* * *
Estas estações meteorológicas são as que têm registado um maior número de trimestres a subir no Ranking Meteorológico Europeu. Assim, estas são as vinte e cinco estações meteorológicas europeias que tendem a registar, cada vez com mais frequência, as dez precipitações máximas absolutas diárias mais elevadas em todo o continente europeu, considerando um período de doze meses consecutivos. São estações meteorológicas com tendência a terem um clima com maiores precipitações diárias acumuladas diariamente ao longo do ano.

6577. Tendências de dados meteorológicos (EUROPA)

ACTUALIZAÇÃO DA POSTAGEM Nº 6455
 Algumas das estações meteorológicas com tendência a
registar cada vez menos temperaturas máximas 
no TOP 10 diário
* * *
  ========================================
Algumas das estações meteorológicas com tendência a
registar cada vez menos temperaturas mínimas 
no TOP 10 diário
* * *
 =========================================
Algumas das estações meteorológicas com tendência a
registar cada vez menos precipitações em 24 horas 
no TOP 10 diário
* * *
 

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

6576. Percentagem de acerto nas previsões climáticas trimestrais (Europa)

1º Trimestre 2016 até 4º Trimestre 2017 = 67,08 %
4º Trimestre 2015 até 3º Trimestre 2017 = 66,83 %
3º Trimestre 2015 até 2º Trimestre 2017 = 66,17 %
2º Trimestre 2015 até 1º Trimestre 2017 = 66,25 %
1º Trimestre 2015 até 4º Trimestre 2016 = 65,08 %
4º Trimestre 2014 até 3º Trimestre 2016 = 65,58 %
3º Trimestre 2014 até 2º Trimestre 2016 = 63,83 %
2º Trimestre 2014 até 1º Trimestre 2016 = 62,92 %
1º Trimestre 2014 até 4º Trimestre 2015 = 61,17 %
=====================================
1º Trimestre 2015 até 4º Trimestre 2016 = 65,08 %
1º Trimestre 2013 até 4º Trimestre 2014 = 58,00 %